Consideram-se uma Obediência

By | May 18, 2008

O rito que praticam na Grande Loja Nacional Portuguesa não deve ser confundido com religião e sentimento religioso. O Rito Escocês Antigo e Aceite que praticam desde a fundação da Grande Loja e na sequência do mesmo que foi desenvolvido na Europa, não é por estes maçons entendido como um substituto da religião, pela razão de que não se entregam a uma verdade revelada e não vão à Loja para adorar nela o Eterno. Trabalham em sua Glória e praticam a evocação do Grande Arquitecto do Universo no caminho do transcendente, cabendo a cada um desses maçons interpretar esse símbolo em função do seu próprio entendimento.

Consideram-se uma Obediência exclusivamente masculina por não aceitarem a maçonaria envolvida numa confusão de géneros. Aceitam a liberdade das mulheres mas não consideram essa igualdade como um sinónimo de uniformidade ou de identidade. Consideram existir diferenças entre o homem e a mulher, concretizadas pela lei da natureza. Como se relacionam tendo por base a Tradição, têm em conta os Antigos Deveres dos Maçons que publicam nos seus rituais: tanto a maçonaria dos Antigos como a dos Modernos é considerada uma fraternidade de homens livres e de bons costumes. Esta interdição continua a ser para eles uma marca fundamental da maçonaria regular ou tradicional que assim foi considerada desde a sua origem, uma sociedade de construtores. Consideram que a comunhão de espíritos e dos corações não se limita à prática de um ritual pelo que fora dos Templos estão sempre abertos a todas as manifestações de carácter fraternal.